Vice

Amy Adams (left) as Lynne Cheney and Christian Bale (right) as Dick Cheney in Adam McKay’s VICE, an Annapurna Pictures release. Credit : Matt Kennedy / Annapurna Pictures 2018 © Annapurna Pictures, LLC. All Rights Reserved.

O filme, indicado a seis categorias no Oscar 2019, segue a história de Dick Cheney (Christian Bale), um homem mediano que havia sido esportista nos tempos da faculdade mas que nunca havia alcançado nenhum tipo de status na vida. Ao lado de sua esposa Lynne (Amy Adams), Dick resolve apostar na política para crescer financeiramente nos anos 70, durante o governo Nixon. Ele vai trabalhar no gabinete de Rumsfeld (Steve Carell), de quem se torna assessor.

Quando Nixon renuncia, Dick acaba tendo sua maior chance de se destacar dentro do parlamento e começa a moldar sua própria história, se tornando um dos maiores articuladores dos governos seguintes, chegando a ser Ministro da Defesa. Seu grande momento na história dos Estados Unidos acontece quando, de forma brilhante, ele vira vice de George W Bush (Sam Rockwell) em sua chapa, num momento de guerras, desconfiança e muitas informações falsas. O político foi o principal arquiteto da Guerra do Iraque e da chamada Guerra ao Terror, cujos efeitos perduram até os dias de hoje.

O filme é interessante pois mostra com clareza as manobras políticas que levaram um ”zé ninguém” até um dos cargos mais cobiçados do mundo. Dick estava decidido a não ser um vice figurativo, e com sua influência, sagacidade e apoio da esposa, recriou sua própria vida.
O elenco é ótimo e muito entrosado – destaque para Bale, fantástico no papel do protagonista. O ator, conhecido por seus trabalhos em ”O vencedor” e ”A grande aposta”, engordou 20 quilos para dar vida ao republicano e está cotado para o prêmio de Melhor Ator no Oscar 2019.
O longa teve a direção certeira e estilosa de Adam McKay (”Os outros caras”, ”A grande aposta”).

 

Cotação: Muito bom